No domingo passado fui a Cascais passear, que é aquilo que mais gosto de fazer no meu tempo livre. Fiz a caminhada até à Boca do Inferno e é um local lindíssimo. Pessoalmente, adoro ver esta imensidão de azul. As arribas e falésias são coisas que me fazem um pouco de confusão pois tenho algumas vertigens e uma noção de perigo muito aguçada, mas adoro estas vistas.

De Cascais, apanhei um autocarro para Sintra, que faz parte do percurso pela Serra e que passa pelo Cabo da Roca. Quando lá cheguei, nem se conseguia distinguir o céu do mar. Em breve, a ver se também é um sítio ao qual vou pois nunca me lembro de lá ter ido.

Pelo meio, fui a apanhar Pokemons, visto que sou uma das fãs do Pokemon Go!


Há cerca de 15 dias, fui passar um fim-de-semana ao Porto, aproveitando as minhas folgas do trabalho. Adoro o Porto e, embora goste mais de Lisboa, gostava de passar uma temporada do Porto, nem que fossem meia dúzia de meses. Para mim, o maior defeito do Porto é o facto de ser uma cidade muito escura comparativamente com Lisboa. O melhor, é a sintonia do Douro com a cidade e com Gaia.

Fui visitar o Estádio do Dragão e o Museu do Futebol Clube do Porto e devo dizer que esperava um pouco mais. Achei o museu demasiado escuro e, em algumas partes, muito barulhento com vários vídeos a serem exibidos ao mesmo tempo e a um volume elevado.

Passeio pela Foz do Douro, uma zona pela qual nunca tinha andado, comi grandes francesinhas (apaixonei-me pela Cervejaria Brasão - perto da Avenida dos Aliados - onde fiz 2 refeições), dei um passeio de barco pelo Douro (que adoro) e aproveitei cada momento. Fui de avião (uma das minhas maiores paixões) e a viagem foi cerca de 30 minutos. Dormi cerca de 3 horas quando foi o dia de ir, andei todo o dia, voltei a dormir pouco nessa noite mas compensou cada segundo. Para cá, vi o Cristo Rei e a Ponte 25 de Abril iluminados e é muito bonito. Geralmente quando ando de avião, acabo por chegar quase sempre do lado da Expo e nunca tenho oportunidade de ver estes dois ícones de Lisboa desta perspetiva.


Às vezes penso: "tenho de escrever mais", mas o facto é que por um motivo ou por outro acabo por não o fazer. Continuo a trabalhar, às vezes com pouco tempo livre, e está quase a chegar ao fim esta fase. Às vezes parece que já começo a sentir um pouco de saudades mas tem de ser. Fecha-se um ciclo para começar um novo. Todos os dias há uma história para contar, o que acaba por ter a sua graça.

Mas bem, em Setembro deixei o curso no qual estava para trocar para um outro. Decidi que nesta pausa ia trabalhar na área (assim aproveitava e juntava dinheiro para o meu curso e acumulava ao mesmo tempo mais experiência nesta área). Não foi uma decisão fácil sobretudo por ser numa área que não tinha nada a ver com a qual tinha estudado e que, por isso, tinha de fazer exames para me candidatar de disciplinas que nunca tinha feito. Fiz 4 exames na primeira fase e 2 exames na segunda.

Em todos tive positiva e o único que já tinha feito tinha sido português onde consegui a minha melhor nota de sempre num exame. Inglês nunca tinha feito, geografia e economia a mesma coisa. Nunca tinha tido aulas de geografia (embora parte da matéria fosse semelhante a geologia de 10º/11º ano e Física e Química de 10/11º ano que eu tinha tido na área de ciências). Quanto a economia, nunca tinha tido uma aula nem a matéria era parecida ao que quer que fosse da área das ciências e a única coisa que era uma mais valia para mim era a cultura geral porque aborda temas que recorrentemente lemos nos jornais e ouvimos nas notícias.

Sabia que para entrar no curso que quero, ou ter altas hipóteses de entrar, teria de tirar perto de 18 no exame de economia e esse era o meu objetivo e foi o que tracei em Setembro. Em muitos momentos duvidei. Nunca tinha tido a disciplina, nem uma única aula, e 18 implica poucos erros e, às vezes, nestas notas mais altas os pormenores podem fazem toda a diferença. Não ter tido nenhuma aula poderia fazer com que soubesse "por alto" mas me faltassem pormenores. Na primeira fase a nota que tive ficou aquém do 18, e embora tivesse sido a disciplina na qual tinha investido mais tempo (é a prova de ingresso do plano A), foi mesmo aquela em que tive "pior" nota dos 6 exames que fiz. Assim sendo, fiquei um pouco desmoralizada e achei que, obviamente, não ia conseguir mesmo o meu 18 e tive de começar a pensar em alternativas a este curso na faculdade que inicialmente pensei. 

A verdade é que fiz o exame na 2ª fase, foi o último que fiz, e correu-me super bem. Quando sairam os critérios de correção, vi que só tinha falhado uma escolha múltipla em 20 e que portanto 9,5 valores estavam garantidos apenas nessa primeira parte do exame. Depois, na segunda parte também vi que não tinha errado nada no sentido de falhar redondamente uma resposta. Podia ser descontada mas o essencial estava nas minhas respostas. Tinha a "certeza" que pelo menos 16/16,5 eu tinha e isso relançou as minhas esperanças. 

As notas saíram no dia 5, o meu número da sorte e quando olhei para a pauta nem queria acreditar. 187 - 19 (dezanove). Confesso que até chorei. Superei o meu objetivo, em momentos não acreditei, achei que não era possível. Trabalhei muito, estudei muito. Saía do trabalho tarde, chegava a casa e ia estudar. Dormia pouquíssimo para conseguir trabalhar e estudar para o exame mas a verdade é que compensou. Em vários momentos acho que tenho uma estrelinha que está comigo nos momentos mais difíceis e importantes e, neste caso, tive mesmo uma (ou várias) a brilhar por mim. Na manhã do exame estava a falar com uma amiga que também ia fazer o exame pelo whatsapp e estava a rever as coisas assim um bocadinho por alto, a ler resumos da matéria toda mas a verdade é que reli dois pontos muito importantes que saíram no exame e que me ajudaram (bastante) a ter a cotação máxima nas perguntas nas quais sairam.

Assim sendo, é a minha prova e a minha inspiração para acreditar que consigo tudo o que eu quiser, basta trabalhar para isso. Se a estudar meia dúzia de meses de uma disciplina que nunca tinha tido, me esforcei ao máximo e tive 19 no exame, não há desculpas para não tirar boas notas no resto das coisas que venha a estudar futuramente. Foi uma nota fruto de muito trabalho que me irá inspirar a vida toda.


Estamos na final!!!! Mal posso esperar por domingo, dia 10! Adoro futebol e a seleção é ainda mais especial que qualquer clube. Somos todos por um. Não há rivalidades, não há guerras, só sorrisos com todos a gritar pelo mesmo. Pelo nosso país.

Fiquei super contente por termos chegado à final. Confesso que fui uma das que fez piadas quando o Fernando Santos disse que só voltava a Portugal depois do dia 10. Tivemos muita sorte com os nossos adversários, é certo, mas como tudo na vida: a sorte faz parte.

À hora deste post, a França está a ganhar à Alemanha mas ainda não é certo quem ganhe. Seja quem for, vai ser um adversário difícil. O mais difícil deste Euro mas não existem impossíveis e eu continuo a acreditar.

FORÇA PORTUGAL!


A Ariana Grande cancelou... Porquê??? Queria tanto ir vê-la. Ainda para mais, com todas as notícias sobre o facto de estar na Grécia, ter passeado o dia todo, etc.

De qualquer forma, fui, não fazia sentido não ir e adorei, sobretudo, o Charlie Puth. Confesso que antes dele ser anunciado no dia que eu já sabia que ia, não lhe ligava muito. Conhecia o "See you again" e mais duas ou três que conhecia de ouvir mas não sabia que lhe pertencia.

Hoje posso dizer que fiquei fã dele. Gosto da maioria das músicas, acho-o um fofo e simpático. Adorei o concerto dele e foi o meu favorito do dia.


No passado domingo fez dois meses que comecei a trabalhar. Passou a voar. Esta está a ser a minha primeira experiência "a sério" uma vez que antes só tinha feito um estágio de 2 meses e, na altura, parece que passaram de forma mais lenta do que estes agora.

Trabalho num hotel, com muito movimento, e já fiquei por 4 dias sozinha durante o meu turno inteiro e não apenas por determinadas horas como geralmente acontece. Nessas alturas, é completamente caótico. Temos muitas coisas para tratar e mal se consegue respirar. Há sempre algo a fazer. Tenho sempre medo que haja algum problema "grave" que não consiga resolver mas tem corrido tudo super bem. 

Confesso que nem sempre estou com uma vontade louca de ir trabalhar, sobretudo quando está um sol maravilhoso e tenho de entrar às 13h ou às 16h, mas adoro o que faço. Estar em contacto com pessoas de todo o mundo é fantástico e é realmente o meu universo. Quando chega ao final do dia (que às vezes anseio), penso "Já passou! Foi rápido!" e isso é ótimo. Acho que quando sair do trabalho para voltar aos meus estudos, vai custar...


Na passada segunda-feira, o meu gatinho foi ao veterinário levar a sua primeira vacina uma vez que completa os dois meses. Lá, portou-se muito bem. O veterinário disse que seria normal se ele ficasse mais apático o resto do dia mas ele, espevitado como é, esteve sempre normal, a brincar e a querer correr pela casa toda.

Já pesa 1kg, é um destemido que adora ir sempre para onde não pode, adora brincar com o meu cabelo e já começam a aparecer umas manchinhas no pelo que deixará de ser totalmente branco.

Estou completamente apaixonada por ele, quando estou longe sinto umas saudades especiais, como se fosse uma pessoa que não visse há tempos. Olho para a fotografia e só me apetece ficar a dizer "hoooooooooo". É o meu bebé lindo.


Na segunda-feira levei a "Floco/Princesa" ao veterinário para ver se estava tudo bem e para fazer a desparasitação externa e interna. O veterinário examinou-a e eis que dá a notícia que afinal não era uma menina... Era antes um menino! Como as "bolinhas" ainda não tinha descido (varia de gato para gato) induzia em erro mas que não havia dúvidas de que é um gatinho.

Eu queria uma gatinha, sendo que o principal factor era por dizerem que são mais "calmas" que os gatos mas o veterinário disse que se for logo castrado assim que possível, nem tem "tempo" para desenvolver esse lado mais de macho territorialista. Por outro lado, sempre tive dificuldade em arranjar um nome para a gata pois achava que nada ficava bem e os meus nomes favoritos eram mesmo de gato: Enzo ou Kenzo. Assim sendo, agora tenho um Enzo lá em casa. O meu bebé lindo.

De resto, estava tudo bem e pesa cerca de 810 gramas. Portou-se muito bem mas é muito aventureiro e estava com uma ligeira vontade de saltar da marquesa para o chão! Segunda-feira vamos lá voltar para ele tomar a primeira vacina. No fim da consulta, já cansadinho de ser tão mexido, aninhou-se no meu colo de uma forma tão fofinha, nem mexia. Quando estou longe dele, só me apetece voltar para casa para fazer muitas festinhas.

E, para quem perguntou no post passado, o Enzo é mesmo o gatinho da foto.


Já há alguns meses que partilhei aqui o meu desejo de ter um gatinho. Ontem, dia 13 de Maio, fui buscá-la e é um amor. É toda branquinha, nasceu no domingo de Páscoa e decidi manter o nome que já tinha: Floco. Sou péssima para nomes, nunca acho nenhum perfeito e apesar de saber há imenso tempo que queria uma gatinha, só gostava de Enzo ou Kenzo para gato... Para gata, não tinha assim nada que assentasse bem.

A Floco já faz as necessidades no wc, gosta de brincar com aquela coisinha redonda que vem com as pizzas (no meio de tantos brinquedos, é mesmo aquilo com que mais se diverte), gosta de atacadores e de explorar tudo. Já eu, gosto de lhe fazer festinhas e não me apetece largá-la. 

Domingo e segunda estou de folga e mal posso esperar para estar mais tempo com ela.


Adooooro a telepizza. Houve uma altura que encomendava muitas vezes uma pizza pequena para o lanche, outras em que aproveitava a promoção das quartas-feiras loucas e encomendava uma pizza para o jantar. Há dias, estava num shopping e lembrei-me de ir comer uma pequena. Aí reparei que havia uma promoção em que uma pequena com 2 ingredientes custava apenas 2,99€. 

Hoje tinha um almoço combinado com o meu namorado e sugeri que fossemos comer uma pizza. Voilá! Lá fomos nós, ainda consegui carregar um pouco o telemóvel e estivemos tranquilos, longe de grandes multidões uma vez que não havia muita gente.

Para uma fã de pizzas como eu acho que vou aproveitar esta promoção algumas vezes. Fica a dica para vocês também!
  


O meu número favorito é o 5. Maio é o mês 5 e a verdade é que espero que seja um excelente mês. Começou com o batizado dos meus primos, onde fui madrinha de um deles, e ocasião em que apresentei a minha família ao meu namorado, tendo sido por isso uma festa especial para os dois. A determinada altura era eu e ele no meio de 2 ou 3 miúdos a ver os cromos do Patrulha Pata, os que faltavam colar, os repetidos, etc. No dia seguinte, segunda-feira em que também estava de folga, demos um passeio num dia espetacular que gritava verão por todo o lado. Um sol incrível.

Por estes dias vou inscrever-me para tirar de vez a Carta de Condução. Quero despachá-la rápido por isso vamos ver como corre. Há uns anos comecei mas não gostava de conduzir nem sentia necessidade de ter a carta. Desta vez, a minha vida está noutra fase e acho que faz todo o sentido ter. Estou empolgada com isso.

Ainda este mês, vou também ter a primeira comunhão do agora meu afilhado e nesse mesmo dia vou ao Rock in Rio. Estou super ansiosa! Agora a trabalhar tenho pouco tempo livre e acho que o devo aproveitar da melhor maneira. Fui há uns anos, em 2008 creio, mas era muito nova e não o vivi devidamente. Nem era assim grande fã de nenhum artista do cartaz, mas o bilhete foi-me oferecido e fui. Este ano, embora estivesse super indecisa entre dias (gosto de 28 e 29 de Maio), decidi-me pelo domingo e mal posso esperar para que chegue!